sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Coleção Arco Íris - segundo livro: AMOR INDOMÁVEL de Wind Rose

Está aberta a pré-venda do segundo título da Coleção Arco-Íris: 


Amor Indomável - de Wind Rose 
O romance de Ravely e Luiza já está disponível ao preço promocional de 45 reais (frete grátis) e exemplar autografado para quem quiser.

Confira no site e garanta o seu: 

.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O INFINITO EM OUTRAS VOLTAS - Capítulo 07



Letícia ficou andando de um lado para o outro... Ansiosa, nervosa, quase em desespero... Sem saber o que esperar direito.

Paula tinha ligado, dizendo que queria vê-la e, antes que pudesse sugerir um barzinho ou restaurante havia perguntado, na verdade... Pedido:

- Pode ser no seu apartamento?

Num tom que tinha confundido Letícia completamente. Se se tratasse de qualquer outra mulher, teria certeza do que ela queria, o que a proposta realmente continha, mas como era Paula, preferia... Não se iludir.

E se não fosse o que estava pensando?

E se fosse?

Percebeu que tinha parado de respirar e inspirou... Profundamente...

Nesse exato instante, a campainha tocou, fazendo com que estremecesse... Não de susto, mas... Pelo que fez seu coração acelerar a ponto de parecer que explodiria: expectativa, insegurança, medo...

Abriu a porta...

E parou ao vê-la.

Paula sorriu:

- Oi.

Linda, absolutamente linda. Letícia precisou fazer um esforço imenso para conter a vontade de tocá-la, de beijá-la, de...

- Posso entrar?

Só então caiu em si. Tentou corrigir o absurdo de estar muda e paralisada na frente de Paula e, pior ainda, impedindo-lhe a passagem:

- Claro! Entra...

Saiu da frente e fez sinal para ela entrar, sentindo-se... Absolutamente estúpida.

Antes que pudesse dizer algo, oferecer uma bebida ou sugerir que ela se sentasse... Paula avançou e a abraçou... Os braços fortemente enlaçados ao redor do pescoço de Letícia, o corpo colado no dela, como se os anos não tivessem passado e estivessem juntas ainda...

Surpresa, quase em choque... A primeira reação de Letícia foi uma total imobilidade. Permaneceu rígida nos braços dela, como se não acreditasse...

Isso fez com que Paula prontamente a soltasse:

- Desculpa...

O afastamento causou um efeito imediato. Letícia segurou Paula pela cintura e puxou-a para si:

- Não...

Foi a única coisa que conseguiu dizer, antes de beijá-la...

As bocas se tomaram numa fusão absolutamente passional, sem que nenhuma das duas pudesse ou quisesse pensar... Só o que importava era extravasar... O que durante tanto tempo haviam sufocado...

Sem que soubessem dizer como, viram-se sentadas no sofá... Letícia ajoelhou no chão, entre as pernas de Paula, passeou a boca pelo pescoço dela... Ombros, colo... Abaixou as alças do vestido desnudando os seios...

O gemido que Paula deixou escapar quando ela encostou a boca e sugou o mamilo fez com que Letícia recuperasse um pouco da razão. Ameaçou parar, mas como se previsse, Paula a segurou pelos cabelos e não permitiu:

- Eu quero. Preciso.

Deu à Letícia toda a certeza necessária:

- Continua...

Letícia livrou-a do resto das roupas, acariciou Paula por inteiro... Precisava devorá-la... Tê-la novamente...

- Paula... Eu te amo.

Sussurrou antes de mergulhar nela profundamente... Com a boca, com os lábios, com os dedos... Paula deixou que Letícia a tomasse, se entregou por completo...

A primeira explosão foi rápida, e nem por isso menos intensa... Apenas o começo...

De uma maneira deliciosamente insaciável, Letícia prosseguiu... Uma, duas, três vezes... Teria continuado, se Paula não a interrompesse:

- Para... Assim eu não aguento...  Me dá um tempo...

Letícia levantou a cabeça, enxugou a boca nas costas da mão e a olhou... Com um sorriso tão radiante que fez Paula sentir uma pontadinha no peito...

Puxou-a para si, envolveu Letícia com os braços e as pernas, apertou-a com força, de olhos fechados, deliciando-se com o calor do corpo, a textura da pele, o cheiro... Afastou-se apenas o suficiente para olhar para ela...

Sorriu...

Letícia sorriu de volta... E disse mais uma vez:

- Eu te amo.

O primeiro impulso de Paula foi responder: “Eu também.”

Mas não o fez.

Continuou olhando dentro dos olhos de Letícia... Por um longo tempo.

Chamou-a:

- Le... Tira tudo e vem aqui... Vem...

Sem hesitação, lamentação, questionamentos ou arrependimentos...

O único desejo de Letícia naquele momento era atendê-la. Despiu as próprias roupas... Com pressa... E ajoelhou em cima do sofá, com Paula sentada entre as pernas...

Paula percorreu o pescoço dela com a boca, subiu até a orelha... Sussurrou:

- Tô louca pra te comer...

Causando um primeiro arrepio...

Pegou os seios de Letícia nas mãos, e depois... Desceu os dedos... Deslizando, acariciando, penetrando... O prazer de ambas acompanhando o movimento de vai e vem num crescendo, entre suspiros, gemidos e beijos...

Permaneceram abraçadas, em silêncio, enquanto as pulsações e respirações retomavam a cadência de sempre.

Pouco a pouco...

Assim como a realidade... Inevitavelmente veio.

Letícia sentiu o exato momento em que o corpo de Paula se afastou e ficou... Tenso.

Olhou para ela e perguntou, com uma intuição terrível:

- Você disse que precisava me ver... Mas não me disse por que.

Paula demorou um tempo para conseguir responder:

- Eu vou me casar.

Saiu sem querer... O riso nervoso que Letícia deixou escapar:

- O quê?

Soltou-a, levantou, deu alguns passos para trás, passou as mãos nos cabelos... Forçou-se a voltar a olhar para Paula:

- Então... Quer dizer que... Isso...

Precisou respirar fundo para ser capaz de completar:

- Foi uma despedida de solteira?

Paula levantou quase em desespero:

- Não...

Estendeu a mão sem sentir, tentando tocá-la:

- Eu só queria te ver...

Mas Letícia parecia... Inatingível:

- Pra quê?

Confessou muito mais para si mesma:

- Pra ter certeza...

Letícia não riu, gargalhou:

- Certeza? Certeza!

Rodou em torno de si mesma, parecendo... Possessa:

- Não foi uma despedida, foi um experimento!

Dessa vez, Paula gritou:

- Não!

Os olhos se encontraram... Os de Letícia inflamados, os de Paula suplicantes:

- Eu não...

Parou a frase no meio.

Letícia se aproximou... O rosto tão próximo que podia sentir nos lábios o hálito dela:

- Você não o quê?

A voz de Paula soou dolorosamente suave e... Verdadeira:

- Eu não vim com a intenção de...

Letícia a cortou:

- Trepar?

Ficaram se olhando...

No mais profundo silêncio.

Até Letícia interrompê-lo:

- Fala a verdade. Você veio aqui querendo o quê? Ouvir os meus parabéns?

A despeito da ironia agressiva com que ela falou, Paula sabia... Sentia o quanto ela estava sofrendo. Segurou o rosto de Letícia entre as mãos e pediu:

- Por favor... Me escuta? Só um pouquinho?

Mas naquele momento, Letícia não podia nem queria tentar compreendê-la:

- Não precisa se justificar. Sabe por quê?

Segurou os pulsos dela, beijou a palma da mão esquerda, olhou dentro dos olhos de Paula e sorriu:

- Eu mereço.

As lágrimas escorreram. Virou de costas para Paula, tentando inutilmente escondê-las.

Paula a abraçou por trás. Encostou o rosto no pescoço de Letícia, fazendo-a perceber, pela umidade que sentiu contra a própria pele, que ela estava chorando também.

- Eu te amo.

Saiu baixo, mas Letícia ouviu perfeitamente. Não acreditou. Na verdade pensou que não tinha entendido bem:

- O que você disse?

Permitiu que Paula a virasse... Docilmente. O olhar que trocaram foi inteiramente revelador. Não precisava, mas Paula quis dizer novamente:

- Eu amo você.

Letícia sacudiu a cabeça em negação... Impossível aceitar:

- Você me ama? Tem certeza?

Não havia ambiguidade alguma quando Paula afirmou:

- Tenho.

Foi Letícia quem duvidou:

- Me ama, e vai se casar assim mesmo?

Paula sequer piscou ao confirmar:

- Vou.

Letícia deixou escapar um som contido... Antes de questionar:

- Por quê?

Não queria, mas precisava saber. E Paula não só compreendeu. Fez exatamente o que Letícia pedia. Foi honestíssima:

- Eu amo a Natália também.

Letícia se soltou e recuou... Foi sarcástica:

- Como a minha mãe amava o meu pai?

Paula respirou fundo... Manteve um tom quase suave:

- Precisa mesmo comparar?

A risada de Letícia soou amargurada e agressiva:

- Desculpe. É mais forte do que eu.

Aquilo foi o estopim... Fez Paula perder completamente a paciência:

- Eu não sou a sua mãe. Quantas vezes vou ter que te dizer?

Olharam-se profundamente...

A despeito do tom contido, era claro, perfeitamente nítido... O que havia por trás daquilo:

- Não mesmo. Por que... A minha mãe jamais faria isso.

Deixou no ar... Nas entrelinhas...

Deixando Paula enfurecida:

- Isso o quê?

A mudez de Letícia fez Paula repetir:

- Isso o quê?

E exigir:

- Diz!

Mas Letícia apenas sorriu:

- Nada não. Deixa pra lá.

Voltaram a se olhar...

Até Paula interromper o silêncio estabelecido:

- Posso te perguntar uma coisa?

A voz dela continha... Uma suavidade doce, carinhosa, íntima... Que tornou impossível para Letícia resistir...

Respondeu no mesmo tom:

- Sim, claro que sim.

Paula queria, precisava saber e, acima de tudo, ver e ouvir... Lançou à queima roupa, assumindo integralmente o risco de fazer um papel ridículo:

- Você se casaria comigo?

Letícia esperava tudo, menos aquilo... Olhou para Paula como quem não acredita... Demorou alguns segundos para vencer o choque e reagir:

- Como é?

Paula confirmou, seriíssima:

- Isso mesmo que você ouviu.

Fazendo Letícia finalmente explodir:

- É uma competição? Ou tipo... Um leilão? Quem oferecer mais leva? Se for, é melhor você ficar com ela.

Sem uma palavra, Paula começou a se vestir. Letícia fez o mesmo, subitamente incomodada por estar despida.

Quando Paula encostou a mão na maçaneta da porta da rua, toda a indignação de Letícia imediatamente sumiu:

- Paula... Espera...

Ela parou. De frente para a porta ainda.

Sem tentar disfarçar o desespero que sentia, Letícia questionou:

- Pra que casar agora? Não acha muito cedo?

Só então Paula se virou... E a olhou:

- Ainda tem muitas coisas que você quer provar, experimentar e fazer?

A ironia cortante e fria da frase, o significado que ela continha, atingiu Letícia de forma absolutamente precisa. Deixou que Paula visse e sentisse... A sinceridade que sempre tinha oferecido:

- Acho que sempre vai ter, mas...

 “Nesse momento, eu abriria mão de tudo por você.”

Pensou, mas não disse.

Fugiu:

- Nada. Esquece.

Com um gesto de cabeça, Paula assentiu. Virou, abriu a porta, e saiu. Deixando Letícia parada no meio da sala, inexoravelmente sozinha.



CONTINUA NA PRÓXIMA 2a FEIRA...


Para deixar seu comentário acesse:
http://oinfinitoemoutrasvoltas.blogspot.com.br/2014/10/capitulo-07.html


Para ler o Primeiro Capítulo:
http://oinfinitoemoutrasvoltas.blogspot.com.br/2014/09/capitulo-01.html



A fórmula vocês já conhecem, mas só para lembrar: 
- A doação é voluntária, tod@s podem ler, participando ou não.
- Qualquer leitor@ pode fazer a doação no valor de R$ 10,00 ou mais.
- Ao atingirmos 150 cotas de R$ 10,00, ou total de R$ 1.500,00, serão postados três capítulos por semana. 

- Se atingirmos 200 cotas de R$ 10,00, ou total de R$ 2.000,00, serão postados quatro capítulos por semana.
 

As doações serão revertidas para os próximos projetos da autora (que são muitos!)

Para colaborar basta clicar no botão abaixo: 








Clique no botão acima para fazer a sua contribuição.



A AUTORA AGRADECE IMENSAMENTE 
A SUA COLABORAÇÃO!



.
OBS IMPORTANTE:   Se preferir fazer a sua contribuição por transferência bancária ou depósito na conta da autora, enviar email para: diedraroiz@gmail.com




RECAPITULANDO:

50 cotas   = um capítulo por semana - ATINGIDO
100 cotas = dois capítulos por semana - ATINGIDO
150 cotas  = três capítulos por semana
200 cotas = quatro capítulos por semana



postado originalmente em 23 de Outubro de 2014 às 18:00.

 
Aviso sobre direitos autorais: Copyright © 2014 por Diedra Roiz
Todos os direitos reservados. Você não pode copiar (seja na íntegra ou apenas trechos), distribuir, disponibilizar para download, criar obras derivadas, adaptações, fanfictions, nem fazer qualquer uso desta obra sem a devida permissão da autora. 
 

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O INFINITO EM OUTRAS VOLTAS - DOAÇÕES ANTECIPADAS


Menin@s Lind@s e Maravilhos@s,
Tudo bem?
É com imenso prazer que venho informar que... 
As doações de O INFINITO EM OUTRAS VOLTAS já começaram! 
Antes mesmo da postagem do Primeiro Capítulo! 
Não sei nem como agradecer!!! Muito, mas muito obrigada mesmoooooooo!!!!
Sendo assim... 
Declaro as doações oficialmente abertas e com esta nova situação, agora temos...

NOVAS REGRAS:
- Assim que atingirmos as 50 cotas será postado o Capítulo 02.
 
- Se atingirmos as 50 cotas antes da 2a feira - dia 29/09, as postagens dos dois primeiros capítulos serão antecipadas. Ou seja, serão feitas no dia em que as 50 cotas forem atingidas.




No mais, continua tudo quase igual... CONFIRA:

- A doação é voluntária, tod@s podem ler, participando ou não.
- Assim que atingirmos 50 cotas de R$ 10,00,
ou total de R$ 500,00, será liberado o segundo capítulo.

- A partir do dia em que as 50 cotas forem atingidas, será postado um capítulo por semana. 
- Qualquer leitor@ pode fazer a doação no valor de R$ 10,00 ou mais.
- Ao atingirmos 100 cotas de R$ 10,00, ou total de R$ 1.000,00, serão liberados dois capítulos por semana.
- Ao atingirmos 150 cotas de R$ 10,00, ou total de R$ 1.500,00, serão postados três capítulos por semana. 

- Se atingirmos 200 cotas de R$ 10,00, ou total de R$ 2.000,00, serão postados quatro capítulos por semana.
 



As doações serão revertidas para os próximos projetos da autora (que são muitos!)

Para colaborar basta clicar no botão abaixo: 







Clique no botão acima para fazer a sua contribuição.



A AUTORA AGRADECE IMENSAMENTE 
A SUA COLABORAÇÃO!



.
OBS IMPORTANTE:   Se preferir fazer a sua contribuição por transferência bancária ou depósito na conta da autora, enviar email para: diedraroiz@gmail.com




RECAPITULANDO:
O segundo capítulo será postado assim que atingirmos 50 cotas ou R$ 500,00.

Depois disso:

50 cotas   = um capítulo por semana
100 cotas = dois capítulos por semana
150 cotas  = três capítulos por semana
200 cotas = quatro capítulos por semana

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

PROMOÇÕES LITERÁRIAS AO CUBO E AO QUADRADO:


1) Promoção Diedra ao Cubo:


BOLEROS (contos) + LIVRO SECRETO (romance) + AMA/DOR/A (poesia) 
= R$ 85,00 
(com frete gratuito para todo o Brasil)
Previsão de Entrega: Até 10 dias úteis depois de comprovado o pagamento


ADQUIRA OS SEUS CLICANDO NO BOTÃO ABAIXO:









Clique no botão acima para ser direcionad@ a compra.



OBS IMPORTANTE :  Se preferir fazer a compra por transferência bancária ou depósito na conta da autora, enviar email para: diedraroiz@gmail.com



 

2)Promoção Diedra ao Quadrado CONTOS + ROMANCE:


BOLEROS (contos) + LIVRO SECRETO (romance)
= R$ 65,00 
(com frete gratuito para todo o Brasil)
Previsão de Entrega: Até 10 dias úteis depois de comprovado o pagamento


ADQUIRA OS SEUS CLICANDO NO BOTÃO ABAIXO:







Clique no botão acima para ser direcionad@ a compra.



OBS IMPORTANTE :   Se preferir fazer a compra por transferência bancária ou depósito na conta da autora, enviar email para: diedraroiz@gmail.com






3)Promoção Diedra ao Quadrado CONTOS + POESIA:

BOLEROS (contos) + AMA/DOR/A (poesia)
= R$ 55,00 
(com frete gratuito para todo o Brasil)
Previsão de Entrega: Até 10 dias úteis depois de comprovado o pagamento


ADQUIRA OS SEUS CLICANDO NO BOTÃO ABAIXO:








Clique no botão acima para ser direcionad@ a compra.



OBS IMPORTANTE :   Se preferir fazer a compra por transferência bancária ou depósito na conta da autora, enviar email para: diedraroiz@gmail.com






4)Promoção Diedra ao Quadrado ROMANCE + POESIA:


LIVRO SECRETO (romance) + AMA/DOR/A (poesia)
= R$ 60,00 
(com frete gratuito para todo o Brasil)
Previsão de Entrega: Até 10 dias úteis depois de comprovado o pagamento


ADQUIRA OS SEUS CLICANDO NO BOTÃO ABAIXO:









            Clique no botão acima para ser direcionad@ a compra.

OBS IMPORTANTE :   Se preferir fazer a compra por transferência bancária ou depósito na conta da autora, enviar email para: diedraroiz@gmail.com