sexta-feira, 10 de abril de 2015

PEQUENO DICIONÁRIO DO SEXO LÉSBICO - Parte 4


Sexo. Algo tão bom, mas muito pouco trabalhado emocional, afetiva e individualmente.

Talvez por isso existam tantas pessoas que pouco – ou quase nada – sabem fazer.

Em uma roda de amigas, em uma conversa informal (o que elas falam no banheiro), acontece de se comentar a performance de fulana ou sicrana na cama, fazer um Top 10 das melhores parceiras que já se teve, etc.

Parece horrível, insensível, cafajeste? Talvez. Mas a coisificação das pessoas está intrínseca em nossas mentes. Principalmente no que diz respeito ao quesito sexo. A mídia nos bombardeia com “produtos”. Difícil fugir do padrão.

Eu apenas pergunto: como comparar? As pessoas são tão diferentes, e cada vez com a mesma pessoa nunca é igual…

Melhor ainda: para que comparar? Para que essas avaliações de performance sexual? É o que? Padrão de qualidade? Quantidade de produção? Campeonato da mais… Deixa pra lá!

O que nunca, jamais devemos esquecer é que o mais importante é o ser humano. O cuidado, respeito, consideração e sentimento que todas as pessoas precisam e merecem.

E para poder isso, quanto mais informação, melhor.

Portanto, vamos continuar com nosso dicionário:




Masturbação – Automanipulação, autoestimulação ou autoerotismo. Famoso prazer solitário.

Proporcionar prazer ao corpo, em especial aos genitais, em princípio através do toque das mãos. A masturbação pode ser considerada uma das práticas sexuais mais comuns e esperada.

Além de ser uma forma de sexo seguro e para extravasar as tensões sexuais da vida cotidiana e conhecer o próprio corpo.

Wood Allen tem a frase perfeita:

“Se masturbar é fazer amor com que você mais gosta: você!”

Dizia a lenda que a masturbação faz mal, vicia, coisas desse tipo. Tudo mentira! Invenções para reprimir. Fique tranquila, é uma boa prática, sem contra indicações, só benefícios. Não tenha medo de ser feliz!

Obviamente, quem se masturba de modo compulsivo, pode acabar deixando de fazer outras coisas na vida que são igualmente importantes. Sob este ponto de vista, a masturbação excessiva pode ser ruim.

Como tudo na vida, tem que ser feita com moderação.

Outro mito: como a masturbação libera a tensão sexual acumulada, então ela “gasta” o tesão. Tipo… Na hora de fazer sexo com alguém, quem se masturba não teria energia.

Meninas, cada uma sabe do seu cada um. A energia e o desejo sexual varia de pessoa a pessoa. Portanto, cada uma sabe se na hora do “vamos ver” ter se masturbado naquele dia vai fazer diferença ou não.

Algumas mulheres não conseguem sentir prazer com a manipulação dos genitais? Infelizmente, é verdade.

Tem quem tenha aprendido – e computado – que se masturbar á algo ruim, feio, sujo, pecaminoso. É tudo uma questão de significados negativos e preconceitos, que sempre podem – e devem – ser revistos e modificados.

Que mal pode haver em você conhecer o seu corpo, gostar dele e de dar prazer a si mesma?

Bom, ninguém pode negar que, culturalmente, as questões ligadas a sexualidade sempre foram mais difíceis para as mulheres. Sempre se difundiu a ideia do sexo associado a impureza e ao pecado para o sexo feminino. Só mulher virtuosa e pura teria e mereceria respeito. Outra ideia ampla e longamente divulgada foi a de que “homem precisa mais de sexo do que mulher” .

Isso é tão idiota que não vou nem comentar, mas… Tudo isso faz com que a masturbação seja mais esperada e aceita entre os “meninos” do que entre as “meninas”.

O conhecimento do corpo feminino foi negado, escondido, oculto durante séculos. Até hoje um número absurdo de mulheres adultas tem dificuldade em identificar onde fica o clitóris, a vagina e a uretra. Não é incrível isso?

Por mais que os tempos sejam modernos e a mentalidade esteja mudando, o inconsciente coletivo grita e… Sob este ponto de vista repressor, a masturbação feminina continua não sendo bem vista.

Isso quer dizer o quê? As mulheres não se masturbam? Muitas não mesmo. Outras fazem, mas não confessam. Não é um assunto muito popular entre amigas. Ou é?

Só para dar uma ajudinha, o TOP 10 da masturbação feminina:

01) Dedos (básico e clássico)

02) Bidê, chuveirinho ou jato de hidromassagem (não é à toa que o planeta está ficando sem água)

03) Vibradores e celular na vibração (ah, a modernidade… )

04) Dildos (ver Parte 1)

05) Almofadas e travesseiros (tem quem não durma sem um no meio das pernas)

06) Bichinhos de pelúcia (que meigo – Freud explica)

07) Esfregar as coxas uma na outra (essa só pra quem tem coxas grossas, né?)

08) Legumes fálicos (sexo vegetariano ou a famosa “cenourinha”)

09) Cabo da escova de cabelo (não tenho conhecimento para comentar)

10) Apetrechos modernos de Sex shop – exemplo:  sugador de clitóris a vácuo (a tecnologia nessa área está super avançada, pesquisem!)


Só lembrando que:

Se for usar qualquer objeto tem que ter cuidado para não se machucar. Para se introduzir qualquer coisa – até em uma conversa – não se faz de qualquer jeito, não é verdade?

A higiene das mãos e dos objetos é indispensável!  Lavar as mãos e usar camisinha (preservativo) nos objetos para não ter problemas mais tarde.

Enfim…

“Masturbation (Masturbação)
Can be fun…” (Pode ser divertido)
(“Sodomy” – Hair – James Rado e Gerome Ragni)





Lubrificação Vaginal - Produção natural de um líquido lubrificante na vulva e canal vaginal, que reduz a fricção durante a atividade sexual.

Considera-se como sendo a primeira fase da resposta sexual feminina e também da excitação (equivalente à ereção masculina).

Meninas, a natureza é sábia, não é mesmo? Imaginem o desconforto de se friccionar (com penetração ou não) os genitais sem lubrificação?

Ou seja: durante qualquer tipo de relação sexual, para não haver desconforto nem nenhum tipo de dor, a lubrificação é fundamental!

Além disso, a lubrificação também é excitante para a parceira, não é verdade? É uma questão de ativar, estimular os sentidos… O gosto, a visão, o cheiro, o tato, até o som que faz…  A expressão material do desejo da outra pessoa. No mínimo… Uhmmmm, delicioso!

A lubrificação vaginal resulta de vários fatores, entre eles: hormonais, nervosos, psicológicos, sociais e outros ainda não elucidados.

Mas e quando a lubrificação não acontece naturalmente?

Uma solução fácil é a utilização dos lubrificantes que imitam a lubrificação natural e que se compra em Sex Shops, motéis ou em qualquer farmácia.

Porém, se for algo constante, que se repete, é muito importante que se procure a ajuda de um médico, para avaliar se é necessária a utilização de outros medicamentos juntamente com esses lubrificantes.

E se for algo momentâneo? Aquele dia em que o estresse, cansaço, a dor de cabeça, etc te impede de ser feliz?

Nesses momentos, é preciso ser sincera. Decidir: estou ou não a fim?

Se não estiver, não insista. Tem dias e dias. Em alguns deles realmente não rola. Faz parte. Nada de mal nisso. Sem culpas, medos nem ressentimentos.

Se não for o caso, com boa vontade de ambas as partes sempre dá para dar um jeitinho. Tudo na vida tem solução, não é mesmo?

É muito simples. Você decide: hoje vai ter ou não?

Também temos os casos em que a lubrificação vaginal não é suficiente para o que se quer fazer. No sexo anal ou Fist Fucking (ato de introduzir a mão inteira até o pulso na vagina ou no ânus), por exemplo.

Para isso, existem outras formas de lubrificação:

SALIVA – Sim, a natureza é perfeita. A saliva é um lubrificante universal.

Você pode utilizar a saliva em qualquer prática sexual, porque não é oleosa, não tem contra indicação, é cicatrizante (isso para mim é novidade, adorei saber), está ali à mão (ou melhor: na boca), é grátis, e o melhor de tudo: prazer garantido para as duas!!!


“Encostou a boca no ouvido de Liv, e sussurrou bem lá dentro, num tom irresistivelmente roufenho:
- Fica de quatro…
Sem hesitar, Liv obedeceu. Olhou para trás, bem a tempo de ver Maurícia levando o indicador e o dedo médio da mão esquerda à boca. Lenta, explícita e sensualmente, lubrificou-os…”
(“Na Distância em que Eu te Encontre” – Diedra Roiz)


Para quem não sabe uma técnica de se produzir saliva muito conhecida por quem já fez qualquer tipo de preparação vocal ou aula de canto é esfregar a ponta da língua no céu da boca.

Utilize a saliva sem medo. É o mais adequado e natural a se fazer! Aproveitem!

LUBRIFICANTE ÍNTIMO – Semelhante a lubrificação vaginal, o lubrificante íntimo é um produto (gel ou líquido) industrializado destinado para fins sexuais.

Diminui o atrito da fricção, proporciona sensações diferenciadas, intensifica o toque nos genitais, pode prolongar e aumentar o prazer durante o sexo e… Facilitar muitas coisas.

Recomendado para quando se deseja maior lubrificação local. Pode ser utilizado em exames ginecológicos (não falei que facilitava?), na masturbação com acessórios ou não, e antes e durante as relações sexuais vaginais e anais.

Ou seja: no mínimo, amplia algumas possibilidades, não é verdade?

Porém… Não posso deixar de frisar que: o lubrificante íntimo não é sinônimo de óleo para massagem, muito menos de cosmético genital.

Nada de: hidrata e embeleza a dita cuja.

Para as desavisadas: lubrificante íntimo não tira rugas. Ele serve para lubrificar os genitais e ânus antes e durante o sexo. Em poucas palavras? Digamos que… Ajuda a abrir algumas portas.

Os lubrificantes se diferenciam por:

1- Espessura: densos – indicados para sexo anal

                              menos densos – indicados para sexo vaginal

2- Compostos adicionais: aquecem

                                                       refrescam / gelam

                                                       com sabores

3- Embalagem:   tubos ou bisnagas

                    sachês (do tamanho de um pacotinho de camisinha, geralmente cada caixa vem com três)

4- Composição: a base de água (hidrossolúveis)

                                  a base de silicone

                                  a base de óleo

Os lubrificantes a base de óleo (vaselina e parafina, por exemplo) podem enfraquecer o látex dos preservativos, a ponto de rompê-los. Além disso, são de difícil remoção, podendo deixar resíduos na vagina.

Os lubrificantes a base de silicone possuem um sabor não muito agradável e são difíceis de encontrar no Brasil. Além disso, não podem ser usados com acessórios a base de silicone ou Cyberskin, sob o risco do acessório derreter.

Por isso, o mais recomendável e seguro é o uso de lubrificantes a base de água. É só aplicar nos genitais externos, na camisinha (que vocês não vão se esquecer de colocar nos objetos e acessórios) e dedos. Depois é lavar com água e sabão. Prático, não?

Ter medo ou vergonha de comprar lubrificantes é pura bobagem.

- O que a moça do caixa vai pensar?

- E se alguém na fila vê o que estou comprando?

- A cidade inteira vai ficar sabendo!

Meninas, ninguém tem nada com isso! Você não está fazendo nada de errado. Muito pelo contrário!

Tudo bem, nem sempre isso é fácil.

Se você é tímida, tente comprar em um horário em que a farmácia esteja mais vazia. Lembrando que normalmente os lubrificantes ficam perto das camisinhas.

Se você é realmente tímida, pode pedir na farmácia pelo telefone, comprar pela Internet (o auge da vergonha, e bem mais caro), comprar no Motel (disso você não tem vergonha, né? – Bem mais caro também), ou pedir para um amigo ou para uma amiga mais saidinhos.

Cá entre nós? Se eu fosse essa amiga, com certeza ia pensar:

- O que será que ela vai fazer com esse negócio, pra ter tanta vergonha de comprar?





Lugares Estratégicos – Tudo bem, deveria ter entrado em Fantasias, mas…

É mais do que isso, não é verdade?

O que faz com que duas pessoas não prefiram o conforto de um quarto?

A lista é inumerável: adrenalina, impossibilidade de se esperar, falta de outro lugar, estado etílico, por se excitarem mais em locais públicos, necessidade de apimentar a relação ou inovar, etc.

Mantenho minha coerência até o fim: se as duas estiverem de acordo e não estiverem fazendo mal a ninguém… Tudo bem.

Mas nem só os Lugares Públicos são estratégicos, não é mesmo? Criatividade é tudo! Existem milhares de possibilidades no aconchego do lar também.

Top 10 dos lugares estratégicos:

01-    Banheiro (tão Top que teve um tópico na Parte 1 só para ele)

02-   Car Sex (Carro é quase tão popular quanto banheiro. Cuidado onde estaciona, ok? E filmito nos vidros, pleaaaaaaase!)

03-   Home Sex (Dentro da própria casa. Banheira, chuveiro, cozinha, varanda. Preciso comentar? É básico!)

04-  Eco Sex (Matinho, Praia, Trilha, Árvore ou Barraca de Camping. Solução econômica e ecológica)

05-   Wall Sex (Se as paredes falassem… As da boate são as mais populares. Caso onde as pessoas envolvidas podem ser expulsas, ou conseguir tentativas de adesões)

06-   Work Sex (Ambientes de trabalho em geral. Escolha – e aproveite – o seu. Sala do escritório ou consultório, depósito, sala de aula, palco ou camarim de teatro, morgue, etc. Trancar ou não a porta é com você)

07-   Movie Sex (No escurinho do cinema… Alguém com certeza vai perceber, mesmo com a bolsa ou casaco no colo tapando, mas a ideia é essa. Ou não?)

08-   Travel Sex (Imaginem vocês duas dentro do avião ou ônibus. Na calada da noite… um cobertor por cima ajuda)

09-  Acqua Sex (Mar, rio, lago, lagoa ou piscina. Apesar de diminuir a lubrificação, a água tem poder. Consegue despertar desejos incontroláveis. Não é à toa que é o símbolo “mor” da sensualidade.)

10- Party Sex (Na cozinha, banheiro ou qualquer outro cômodo casa dos outros, durante uma reuniãozinha ou festa)


Brincadeiras à parte, para aquelas que pensam:

- Todo lugar é lugar!

Alguns psicólogos explicam que algumas pessoas realmente gostam de ser flagradas durante o sexo ou de correr esse risco. Sentem prazer, se excitam com isso.


“Enquanto acariciava Dani, mantinha a atenção na rua, o sangue pulsando com força pela excitação quase insuportável que a sensação de perigo causava. De vez em quando sussurrava:
- Tô olhando… Não tem ninguém…”
(“Amor às Avessas” – Diedra Roiz)




Só gostaria de lembrar que se não estiverem na Holanda (onde o sexo em lugares públicos é liberado) podem ser presas (no Brasil Art. 233 do Código Penal = Ato Obsceno).

E também que, transitar em lugares públicos em segurança atualmente já é algo difícil, sexo então… Se cuidem!

Tenham um final de semana repleto de prazer e até sexta que vem!




Aviso sobre direitos autorais: Copyright © 2015 por Diedra Roiz
Todos os direitos reservados. Você não pode copiar (seja na íntegra ou apenas trechos), distribuir, disponibilizar para download, criar obras derivadas, adaptações, nem fazer qualquer uso desta obra sem a devida permissão da autora. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante!