terça-feira, 23 de agosto de 2011

O DESCOMPASSO D@ ELEFANTINH@

.

Era uma vez...

Um@ lind@ bebê elefant@ que foi amarrad@, com uma corda muito grossa, a uma estaca firmemente cravada no chão. 

Inconformad@, @ bebê elefant@ tentou soltar-se várias vezes mas, como era muito pequen@,  não conseguiu ver-se livre.

Durante um ano, el@ continuou tentando libertar-se. Porém, a estaca e a corda ainda eram fortes o suficiente para mantê-l@ pres@. 

Então, @ pequen@ elefantinh@, acreditando que nunca seria mais forte que as amarras que @ prendiam, desistiu de tentar se soltar.
 
O tempo passou, @ elefant@ cresceu e se tornou adult@. Forte, grande, magnífic@. Mas não pensava mais em sair de seu cativeiro. Achava que era um desperdício de esforço e energia. 

Mesmo se @ amarrassem com um minúsculo fio num cabo de vassoura, el@ ficava ali, incapaz de ser livre, porque... Tinha plena convicção de que era impossível.


E até hoje, @ elefant@ permanece assim. Sujeitando-se, dia após dia. Amarrad@ em... Nada. 

Não um nada qualquer, que fique bem claro isso!

Um nada que se torna material, a partir do momento em que el@ realmente acredita. 



3 comentários:

  1. Hummm... vesti a carapuça.
    Vc não imagina o quanto esse "nada" se tornou material.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  2. "Sujeitando-se, dia após dia".....sem mais.

    ResponderExcluir
  3. Quando li hoje chorei muito pq serviu p mim esta mensagem sem mais palavras

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante!