quinta-feira, 6 de maio de 2010

SHIT HAPPENS


“Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre [...]
(“Maria, Maria” – Milton Nascimento e Fernando Brant)

Quem nunca passou por aquele momento:
- Para o mundo que eu quero descer!
Tremenda besteira...
O mundo apenas parece que desaba sobre nossas cabeças.
A única diferença entre benefício e obstáculo é o ponto de vista.
Verdade.
A forma que encaramos é tudo.
Com o óculos 3D do desespero, tudo parece uma enormidade...
As ondas gigantes vêm.
É fato.
Ser surfista da vida não é opção, faz parte.
Então na hora do sufoco, é necessário se controlar.
Grite, quebre uns pratos, esmurre o travesseiro se necessário.
Não agrida nem fira ninguém, nem faça bobagens do tipo: vou fumar, cheirar ou ingerir sabe-se lá o que, usar pessoas para extravazar, encher a cara.
Seja forte, sapa!
Desafie a si mesma. 
Bata no peito (com cuidado, pois de mal jeito dói para caralh...) e repita:
- Jamais ser derrotada!
Parece algo Ninja, de filme japonês de samurai?
Talvez...
Mas funciona, sabe?
O Inverno nunca falha em se tornar Primavera.
Só que o tempo às vezes não é aquele pelo qual estamos desesperadas.
O imediatismo só atrapalha.
Pense numa gestação.
Pular etapas deixa falhas.
Não se atravessa um rio de seis metros sem antes atravessar um de quatro.
Atravesse seu oceano particular de problemas braçada a braçada.
Ultrapasse essa realidade repleta de estruturas cotidianas perversas.
Não pare no meio do túnel.
Com força e com vontade.
Vai!
O Sol não deixa de existir porque o céu está nublado. Por mais que tudo esteja escuro, absolutamente cinza, e pareça que o tempo não irá mudar, o sol está ali, apenas esperando o momento de voltar a brilhar.
Se a bomba tem o meu nome gravado nela, ou seja: me pertence, é certo que sou a única capaz de cortar o fio certo e desarmá-la.


Mais sobre o assunto na minha coluna de hoje:


4 comentários:

  1. Paciência, tudo a seu tempo, com determinação, como na música "pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou". Coincidências a parte, esta musica tem estado comigo nos últimos dias.
    A metáfora da bomba, perfeita.

    ResponderExcluir
  2. Oi Di se é que posso lhe chamar assim,li o texto e concordo com vc,mas confesso que muitas vezes tive vontade de abandonar o barco,calma foi apenas uma vontade passageira.bescobri que sou mais forte do que imaginava.

    ResponderExcluir
  3. É realmente as palavras tem poderes medicinais, pois já me sinto bem melhor...

    ResponderExcluir
  4. Oi Di!!Nossa esse texto veio de encontro com tudo que estou passando.É isso sabe,esmurecer e baixar a fronte,não leva a nada.Já me dei o direito de sofrer o merecido,agora é "bola para frente".Amiga você é sensível demais da conta!!!Bjão

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante!