segunda-feira, 24 de maio de 2010

O RESTO É SILÊNCIO

- Agora sim...
A voz da mulher, levemente apimentada, queimou o ouvido de tal forma que de imediato, quase sem querer, Carla pensou:
- O que estou fazendo?
Como se a definição pudesse dar forma à sensação absolutamente... E era disso que se tratava, não era? Ou talvez mais, muito mais... Algo como... Uma estranha e inexplicável forma de pressentimento.
A conclusão não veio.
Não houve tempo.
Os lábios melodiosos percorreram o lóbulo da orelha e desceram pelo pescoço, arrepiando assustadora e deliciosamente todo o lado esquerdo.
- Uhm...
O gemido sufocado soou mais como pedido do que protesto.
Carla arqueou as costas para que do colo, a boca certeira pudesse passar a explorar os seios.
Estremeceu, muito mais num reflexo de surpresa do que de oposição verdadeira, quando as mãos desafiaram a pequena resistência inicial das coxas.
- Abre... Vou te comer...
Rápidos e experientes, os dedos dela abusaram calcinha adentro. Avançando, conquistando e, sem esforço nenhum, vencendo.
Todo e qualquer tipo de pudor, culpa ou medo escorreu na umidade túrgida, enquanto Carla se permitia apenas... Obedecer o desejo com uma servidão febril e derradeira.
Gemeu baixinho.
Ininterruptamente.
Imersa no mais puro e profundo prazer.
Deleitosa tensão instaurada pela mão se movimentando de um jeito que eriçava todos os pêlos.  Antes de penetrar com a percepção exata do momento certo. A perfeição se distendendo em forma de ritmo, pressão, tempo... Como se lhe adivinhasse o pulsar interno.
O gozo veio rápido. Incomparável em força, intensidade e sentimento.
Carla deixou-se permanecer imersa até a respiração se acalmar.
Inteiramente sem se mover.
Por um longo tempo.
Quando finalmente voltou a abrir os olhos, algumas lágrimas escorreram deles.
Retirou os dedos solitários de si mesma, virou-se para o marido que dormia ao lado dela na cama e, uma vez mais, permaneceu...
No mais completo, sufocado e absoluto silêncio.
 FIM



Aviso sobre direitos autorais: Copyright © 2010 por Diedra Roiz
Todos os direitos reservados. Você não pode copiar (seja na íntegra ou apenas trechos), distribuir, disponibilizar para download, criar obras derivadas, adaptações, fanfictions, nem fazer qualquer uso desta obra sem a devida permissão da autora. 


21 comentários:

  1. tsc tsc...

    Pô um sonho??? Isso é coisa q se apresente?
    rs rs rs
    Mais uma vez, matou um bolão...

    ResponderExcluir
  2. amei....que profundo...bjsss enormes Di!!

    ResponderExcluir
  3. Com ou sem a parte do traste do marido, acho que isso acontece de montão, né não ? Pena mas, mais uma vez, vc descreveu de forma sublime esse tipo sentimento.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  4. como sempre vc surpreendendo a nós, nossa muito "tensa" aki com esse texto. muito bom.

    bjin

    ResponderExcluir
  5. Nossa mal começou e já tá otimo!!!

    mto bom Di!!

    bjos

    ResponderExcluir
  6. Quem é essa mulher, Deus meu. Di, cada vez que leio, mais me surpreendo e penso... dessa vez ela se superou, até ler o próximo conto. Risos
    Beijos Pessoa.

    ResponderExcluir
  7. Cara com esse final me pegou direitinho,mas como tudo que vc escreve adorei viu!bjus Di!!!

    ResponderExcluir
  8. Cara com esse final me pegou direitinho,mas como tudo que vc escreve adorei viu!bjus Di!!!

    ResponderExcluir
  9. Ow, céus, que situação! Infelizmente, a de MUITAS por aí. Triste esse sufocar do eu, enfim. Ótimo, Di!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Amei!Fiquei surpresa com o final.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Opa, mudou o blog :)
    Ficou bonito assim, mas eu gostava do fundo lilás...hehe

    Quanto ao texto, que dó... quanta solidão... não sou muito partidária dessas coisas de solidão!

    Beijo Di! Espero que você esteja bem e se não estiver muito, que logo melhore!

    Como em Dulce Veiga "Força e fé!"

    =)

    ResponderExcluir
  12. Você sempre me tira o fôlego com seus escritos!
    Sempre fantástica...
    beijos
    Bru

    ResponderExcluir
  13. hum, amodorei o novo visual do blog...poderia ter um muralzinho de recados ae né?

    como tinha dito anteriormente em relação ao texto, vc é d+!

    bjin

    ResponderExcluir
  14. hsauhsuas achei que estava no cantinho erradoooo =s Ficou legalll assimm =)
    Ain, eu quero seuu livroo.. mas com autografoo usausha tem como????
    beijooo Dii [pode chamar assim? =p]

    ResponderExcluir
  15. Ai eu tô em cólicas, eu quero devorar esse romance,fico ansiosa a espera de cada postagem.
    Parabéns Diedra.

    ResponderExcluir
  16. Simplesmente perfeito!!!
    Deja vu!
    Rsrsrs.

    ResponderExcluir
  17. passei por isso tantas vezes, com direito a marido e tudo é muito triste...texto perfeito!

    ResponderExcluir
  18. Triste, é verdade. Mas, lindo o texto.

    ResponderExcluir
  19. Tbm ja passei por isso horrível seu texto é mara....

    ResponderExcluir
  20. Uau... Quase fiquei sem fôlego!!
    E tão f#d@ acordar de um sonho assim... Acordar e se sentir (perceber o quão) solitária estamos...

    Odeio isso!
    Mas como sempre, vc se superando Dii...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante!