domingo, 28 de fevereiro de 2010

QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER

Meninas Lindas e Maravilhosas,

(Não, esse blog não é só para seres do gênero feminino. Porém... Já que passei a vida inteira ouvindo o plural no masculino, no meu espaço vai ser ao contrário.

Afinal, como diz Jean Wyllys [ser humano iluminado]:

- Por que é ofensivo ser mulher?

Então, para os machos de plantão:

"Ser um homem feminino
Não fere o meu lado masculino [...]"
( "Masculino e Feminino" - Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes)


Apostos gigantescos à parte...

Vou confessar uma coisa: não consigo deixar de chorar vendo e ouvindo isso:



Alguma coisa cármica, talvez...

Ou somente a insubjugável reação que me toma sempre que me deparo com qualquer forma de supressão de direitos, repressão, injustiça, abuso de poder.

Quem pode saber?

Eu não, com certeza.

Só o que sei, é que nada sei...

1964 parece distante, e no entanto, não é.

Os anos de ditadura criaram raízes profundas. Nos corações, nas mentes, na alma de muita gente.

Sabe quando você senta no bar e não te deixam falar se a sua opinião for diferente?

Quando te fazem se esgueirar por não ser igual, sendo que no mundo inteiro, não existem duas pessoas que sejam?

É preciso lutar.

Contra si mesma.

Contra toda e qualquer forma de manifestação intolerante, preconceituosa, intransigente.

Não é fácil. Eu sei.

No entanto, absolutamente necessário neste momento.

Olhar para o outro e não buscar defeitos.

Nem melhor, nem pior.

Gente.

Assim como eu.

Como você.

Passíveis de erros, acertos, qualidades e defeitos. 

O mais delicioso do humano é exatamente a beleza do ser imperfeito, mas capaz de transformação. Evolução. 

Revolução... 


"Seja como for, a grandiosa Revolução Humana de uma única pessoa irá um dia impulsionar a mudança total do destino de um país e, além disso, será capaz de transformar o destino de toda a humanidade."(Daisaku Ikeda)


Dar a outra face não significa passividade. Significa não entrar no mesmo estado de vida baixo, muito menos revidar imitando exatamente aquilo que te faz sofrer.

Não percam tempo remoendo.

 

"Quando uma porta de felicidade se fecha, outra se abre. Infelizmente, às vezes passamos tanto tempo contemplando a porta fechada que não percebemos a que acaba de se abrir." (Daisaku Ikeda)


Quem sabe faz a hora, não espera acontecer:

 

"Dez pessoas audazes que bradam são mais poderosas do que cem mil que permanecem caladas. "(Daisaku Ikeda)

 

Então...

Brade!

Apoiando a aprovação do Projeto de Lei 122/06, que propõe a Criminalização da homofobia assinando e divulgando o abaixo assinado:

https://www.naohomofobia.com.br/home/index.php   



Aviso sobre direitos autorais: Copyright © 2010 por Diedra Roiz
Todos os direitos reservados. Você não pode copiar (seja na íntegra ou apenas trechos), distribuir, disponibilizar para download, criar obras derivadas, adaptações, fanfictions, nem fazer qualquer uso desta obra sem a devida permissão da autora.  

7 comentários:

  1. Assino embaixo do teu texto e do abaixo assinado!!!
    Está na hora de sairmos da toca e tocar o barco pra frente exigindo nossos direitos...
    O primeiro passo:

    UNIÃO!!!


    bjokitax...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto. Considere-se já nos favoritos!bjos.

    ResponderExcluir
  3. Bradandoooooooo!

    Para endossar o coro:
    A luz da lua dança nas ondas, lá no mar, as estrelas do firmamento suspiraram em uma galáxia que brilha vagamente. Uma voz através das eras na caça desta profecia. As pedras antigas irão nos contar que o amor deve nos fazer fortes

    A brisa me abraça enquanto eu permaneço em meu posto de Amazona. Nossas batalhas, elas irão nos encontrar. As escolhas serão nossas e manteremos nossa bandeira orgulhosamente. Minha mente foi chamada através dos anos de ira e de discussões, de toda a miséria humana e todo o desperdício de vida.

    Nós nos perguntamos onde as divindades estão ao nos depararmos com tanta dor. Eu olho para as estrelas acima para procurá-las novamente. E lá está Arthémis com seu arco a me guiar os passos e as palavras-flechas. Nós viajamos vastos oceanos e quando a liberdade jaze, o céu cai em lágrimas.

    É para segurarmos nossa bandeira, é para carregarmos o arco-íris adiante. O amor nos fará fortes. E quando o vento carregar nossos gritos e preces pelo globo, e quando a última estrela brilhar vagamente e o sol do novo dia der a luz, nesse momento mágico, pela imensidão da Mãe Terra reinará o amor, e só!

    Já assinei o abaixo-assinado e repassei o link.
    Ameeeeeeei desde já o seu blog, Di *-*
    devidamente favoritado já!

    Beijos e borboleteios
    Bru

    ResponderExcluir
  4. Ei, amiga! Agora também é blogueira =)

    Texto maravilhoso, como sempre! Vou lá apoiar o abaixo assinado no meu blog também.

    Beijão e até daqui a pouco. Isso que é mulherada engajada, reunião em pleno domingo pela manhã... rs.

    ResponderExcluir
  5. Ótima ideia Diedra, seja bem-vinda.Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. como diz Maria Bethânia " E-S-P-E-T-A-C-U-L-A-R."

    Acho interessante sua forma de escrever.Muito me agrada. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Eu fiz um trabalho memorável com esta música na faculdade, mostrando fotos de pessoas que foram assassinadas pelo Regime Militar.

    Heróis... Estranha esta nossa humanidade em que é preciso morrer por causas. Talvez seja exatamente pelo silêncio de muitos, que alguns poucos precisam dar o sangue, literalmente.


    Então, vamos falar, divulgar, mudar o destino o/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante!